Le véritable voyage de découverte ne consiste pas à chercher de nouveaux paysages, mais à avoir de nouveaux yeux. Marcel Proust - A La Recherche du Temps Perdu















sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

BARROQUISMOS III

 

bc0

(*)

Dois exemplos de praças romanas: a Praça Navona e a Praça do Popolo

Em 1644 sucedendo ao Papa Urbano VIII (Barberini), Giambattista Pamphili (1574-1655) torna-se Papa  com o nome de Inocêncio X.

O Papa foi pintado num célebre retrato de Velasquez, que por sua vez deu origem a um conjunto de dezenas de interpretações por Francis Bacon (1909-1992).

bc1

Diego Velasquez (1599-1660) O Papa Inocêncio X 1650 óleo sobre tela 140 x 120 cm. Galleria Doria-Pamphili, Roma

bc1a

Francis Bacon (1909-1992), Study after Velazquez's Portrait of Pope Innocent X, 1953 óleo sobre tela 153 x 118 cm. Moines Art Centre, Iowa. Photo: Michael Tropea, Chicago

A Praça Navona

Inocêncio X (Pamphili) vai, no seguimento dos papas anteriores, a partir da propriedade que possui na Praça Navona, construir um palácio e com ele, promover a remodelação da praça, tornando-a uma das realizações urbanas mais características da cidade barroca, dando-lhe no essencial a actual configuração. Para além do Palácio Pamphili, irá reconstruir a igreja de Sant’Agnese tornando-a a igreja da família, renovar as fontes existentes e construir no centro da praça, a Fonte dos Quatro Rios. Nos projectos e intervenções da renovação da praça, os dois grandes artistas do barroco, Bernini e Borromini vão iniciar uma manifesta rivalidade.

Se a praça barroca se caracteriza pela presença de igreja, palácio e fonte, a praça Navona é um exemplo completo desta concepção de praça. Nela se situam as igrejas de Santa Inês (Sant’ Agnese) e a igreja e o Hospital dos Espanhóis (S. Giacomo dei Spagnoli), entre outros os palácios Pamphili, Lancellotti e De Cupis  e as três fontes sendo que a central tem um obelisco, todos concorrendo para criar um espaço com um ambiente barroco de animação único.

O Circo Agonal

Mas se a praça Navona adquiriu o seu aspecto actual no século XVII, a sua formação inicia-se com o imperador Domiciano (Titus Flavius Domitianus 51-96 d.C., imperador entre 81 e 96 d.C.) que por volta do ano 86 fez construir um estádio com 275 metros de comprimento e 106 de largura. Este estádio era conhecido como Circo Agonale, já que era um local de jogos (jogo em grego = Agone). O nome Agone deu origem a Nagone, Navone e finalmente Navona.

bc2

Del Cerchio Agonale antico in Ritratto di Roma Moderna All’Eminentiss. E Reverediss. Sig.re il Sig. Cardi. Antonio Barberino. In Roma per il Mascardi. Ad Instanza di Pompilio Totti. Con licenza de Superiori, e Privilegio. LÁnno MDCXXXVIII 1638

O Circo foi entrando em ruína até ser completamente demolido, o espaço foi sendo abandonado e nele se foram construindo, desde o século XIII, alguns edifícios e pequenas capelas. Em 1477 Sisto IV transfere para a praça o mercado que se realizava junto ao Campidoglio. A praça a partir daí tornou-se um local de mercado e de realização de festas religiosas ou profanas.

A Praça nos finais do século XVI e início do século XVII

O Papa Gregório XIII (Ugo Bouncampagno 1502-1585) papa do final do século XVI (1572 a 1585) encarregou Giacomo Della Porta (1532-1602) de aí colocar três fontes.

bc3

Etienne Du Perac (1520–1607) Nova vrbis Romae descriptio Antonius Lafrerij 1577

bc4

Antonio Tempesta (1555-1630) detalhe de Recens prout hodie iacet almae vrbis Romae cum omnibus viis aedificiisque prospectus acuratissime delineatus 1606

bc5

Giovanni Maggi (1566-1618) detalhe de Iconographia della citta di Roma delineata e scolpita in legno a tempo di Pavolo V. publicata per la prima volta da Carlo Losi in quest anno MDCCLXXIV. 1625

A Piazza Navona numa gravura de 1625, com as três fontes mandadas colocar por Gregório XIII.

bc15z

Giulio Mari e Giacomo Crulli Marcucci, Grandezze della citta di Roma : antiche & moderne come al presente si ritrovano adornate con bellissime figure di rame disegniate et intagliate da Jacomo Crulli de Marcucci et dalle stesso dato in luce l’ na ib25 com privileggio Sommo Pontefice p na X com licenza dei Superiori in Piazza Nauona In Roma Appresso Giacomo Mascardi, 1625

Pompílio Totti no seu (1590-?) Ritratto di Roma Moderna de 1638, (que como veremos irá reproduzir esta gravura legendando-a) escreve sobre a Praça Navona, ainda antes da intervenção de Inocêncio X, ou seja de Bernini e Borromini:

…”Hoggi si tiene non solo per la più bella piazza di Roma ma anco viene communemente reputata delle più belle piazze, che siano in Italia, & forsi fuori…”. (Hoje é tida não só como a mais bela praça de Roma, mas também é normalmente reputada das mais belas praças na Itália, e talvez mesmo no estrangeiro…)

E sobre as fontes que então existiam: “…questo luogo é nobilitato da tre belissime fontane edificate da Papa Gregorio XIII. Li pili, e conche sono grandissime di pietra mischia, una delle quali è ornata di belissime statue di marmo co alcuni draghi pure di marmo, che rappresentano l'arme di detto Pontefice, & ogni una di dette figure versa gran copia d'acqua. In mezo a ciasch’una delle due principali vi e si grosso capo d'acqua, oltre molte altre sistole, e cannelle , che servono commumemente ;& attorno le cinge una bellissima balaustrata.”

(…este lugar está enobrecido por três fontes edificadas pelo Papa Gregório XIII. Os vasos  e bacias são vastas e de pedra natural, uma delas ornamentada de belíssimas estátuas de mármore com alguns dragões também de mármore, que representam as armas do dito Pontífice e cada uma das ditas figuras deita uma grande quantidade de água. No meio de cada uma das duas principais jorra um grande repuxo, para além de outras sístoles e bicas que servem a todos; e em volta cinge-as uma belíssima balaustrada.)

“Quella poi, che è in mezo a questa piazza,è un vaso di pietra di gran valore a piano della terra senza nessuna sistola; ma sorgendo un'acqua di sotto terra sempre sta pieno, che è di commodo grande, e benefitio publico, oltre haver arricchito di molte case private con l'stessa acqua.”

(E aquela que está no meio da praça, é uma bacia de pedra de grande valor ao nível do sol, sem nenhuma sístola; mas surgindo a água debaixo de terra sempre se encontra cheia, o que é de grande utilidade e benefício público, para além de ter valorizado muitas casas privadas com a dita água.)

Esta fonte central será substituída pela monumental Fonte dos 4 Rios de Bernini

A fonte do lado Sul, foi colocada em 1575 e desenhada por Giacomo Della Porta (1541-1604).

bc7a

Giovanni Maggi Fontane diverse che si vedano nel'Alma Città di Roma e altre parte d'Italia 1587-1620 the British Museum
Em 1673 foi redesenhada por Bernini colocando uma escultura semelhante a um Mouro, passando a fonte a ser conhecida como Fontana del Moro.bc7

Giovanni Battista Falda (c. 1640-1678), Fontana del Moro in fontane di Roma nelle piazze e lvoghi pvblici della città, con li loro prospetti, come sono al presente

A fonte do lado Norte, colocada em 1574 com uma taça também desenhada por Giacomo della Porta, nos finais do século XIX, foram esculpidos e colocados um Neptuno de Antonio della Bitta (?-1873) e as Nereides, Putti e Cavalos Marinho de Gregorio Zappalà (1833-1908), dando à fonte o nome de Fontana del Nettunno.bc6

A Praça Navona antes de Inocêncio X

A praça nos inícios do século XVII, é já considerada uma das principais de Roma, nela se realizando “…ogni Mercordì un bellissìmo mercato…” mas nela também se realizam diversas manifestações religiosas, festas, torneios, recepções, etc.bc57

Anónimo Vista da Piazza Navona c. 1639 Museo di Roma Palazzo Braschi

bc68

(atribuído) Johann Wilhelm Baur (1607-1640) - Piazza Navona c. 1630  Museo di Roma

Assim aqui se realizava ”… la mattina di Pasqua di Resurrettìone una bella sontuosissìma, celebrata dalla Natione Spagnola in honore della—Resurrettìone di Nostro Signore Giesù Christo dove concorrevano non solo li Cittadini, ma molta gente de'Paesi forastierì…”

“…na manhã de Páscoa de Ressureição uma bela e sumptuosa (procissão) celebrada pela Nação Espanhola em honra da  - Ressureição de Nosso Senhor Jesus Cristo, aonde acorriam não só os cidadãos mas muita gente de países estrangeiros…” (idem)

bc56

Hieronimo (Girolamo) Rainaldi (1570-1655) Procissão da Páscoa na Praça Navona 1592

…”Et a nostri giorni vie stata fatta nobilissima giostra com magnificenza reale, e degna di Theatro Romano.”… (idem)

(“…E nos nossos dias realizou-se uma nobilíssima justa com magnificência real, digna de um Teatro Romano…” )

Pompilio Totti, refere-se ao torneio medieval organizado em 1634 pelo pelo Cardeal António Barberini (1607-1671), sobrinho do Papa Urbano VIII, para "veder ravvivato nella gioventù romana il primiero gusto de' cavaliereschi eserciti..."

Andrea Sachi (1599-1661) foi encarregado de fixar num quadro aquele acontecimento.

bc58

Andrea Sacchi (1599-1661) Giostra del Saraceno a Piazza Navona 1634, óleo sobre tela, 3,00 x 2,20 m, Museo di Roma Palazzo Braschi

Os principais edifícios da praça

Na publicação de 1638 Ritratto di Roma Moderna, do tempo do papa Urbano VIII, Pompílio Totti reproduz a imagem de Giacomo Crulli Marcucci da Praça Navona com o título de Platea Agonalis (plateia = praça em grego), legendando-a e localizando as diversas propriedades então existentes destacando-se com o n.º1 a do então Cardeal Pamphili.

bc15

Pompilio Totti (1590-?) Ritratto di Roma Moderna All’Eminentiss. E Reverediss. Sig.re il Sig.Cardi. Antonio Barberino In Roma per il Mascardi Ad Instanza di Pompilio Totti con licenza de Superiori, e Privilegio. L’Anno MDCXXXVIII

Legenda da imagem: 1 Palazzo dell’Eminentissimo Cardinal Panfilij. 2 Casa del Sig. Teodosio de Rossi Avvocato. 3. Palazzo del Principe di Massa di Casa Malaspina 4 Palazzo del Sig. Vrbano Mellini. 5 Chiesa di Santa Agnese 6 Palazzo de Signori Rivaldi 7 Palazzo del Sig. Francesco de Cupis habitato dall Eccellentissimo Sig. Ambaiciadore del Imperatore 8 Casa del Sig. Antonio de Nigris habitata de sua Signoria 9 Palazzo del Sig. Flaminio Razzanti habitato del detto Signore 10 Palazzo del Sig. Diego Cornouaglia 11 Palazzo dei Signori Massimi habitato dal Signore Andrea Brogiotti Stampatore Camerale 12 Chiesa di S. Iacomo dei Spagnoli 13 Palazzo del Gran Duca di Fiorenza, e sua piazza 14 Case di S. Luigi de Francesi com la loro chiesa 15 Case dell’ Eminentissimo Cardinali Rocci, e Monsignor Varese. 16 Palazzo dell Eminentissimo Cardinal Torres

Igreja e Hospital de S.Giacomo degli Spagnoli (12)

bc15d

O edifício inicial foi construído no século XIII, sobre o estádio de Domiciano, em memória dos mártires cristãos, pelo filho de Fernando III de Castela e daí o nome de San Giacomo degli Spagnoli. Foi totalmente reconstruído em 1440 sob a orientação de Bernardo Rosselino (1409 -1464). Alexandro VI Bórgia, o papa espanhol ordenou novas intervenções e a igreja de San Giacomo foi em 1508 remodelada por Antonio da Sangallo il Giovane  (1484 –1546).  A fachada segundo o modelo do Gèsu, foi alterada em 1881 desaparecendo a parte superior. (Em 1818 a igreja dos espanhóis transferiu-se para Santa Maria di Monserrato, sendo em 1878 consagrada aos missionários franceses do Sagrado Coração)

Detalhe da planta de Antonio Tempesta com a parte sul da Praça Navona e a igreja de S. Giacomo dei Spagnoli (S. Iacobi hispanorum)bc00

Antonio Tempesta (1555-1630) detalhe de Recens prout hodie iacet almae vrbis Romae cum omnibus viis aedificiisque prospectus acuratissime delineatus 1606

bc51    bc51b

La Chiesa di S. Giacomo dei Spagnoli, verso Piazza Navona e  La facciata di S. Giacomo dei Spagnoli, verso La Sapienza in Roma Antica e Moderna nella qvale si contengono in Roma Nella Stamperia di Giacomo Fei MDCLVII

bc51c

Paul Letarouilly – Edifices de Rome Moderne ou Recueil des palais, Maisons, Églises, Couvnets et d’autres monuments publics et particuliers les plus remarquables de La Ville de Roma dessinés mesurés et publiés par P. Letarouilly Architecte tome troisième Typographie de Firmin Didot Frères Paris

bc51e

A igreja numa fotografia de 1865

A primitiva igreja de Sant’Agnese (Santa Inês) (5)

bc15b

No local existia uma pequena basílica mandada construir pelo papa Calisto II, no século XII substituindo a pequena capela existente nas ruínas do circo.

O Palácio da família Pamphili quando Giambattista era apenas Cardeal (1)

bc15a

Palazzo Torres (16) depois Massimo Lancellotti

bc15y

Construído por encomenda de Ludovico Torres arcebispo de Salerno, daí o seu primitivo nome, foi desenhado por Francesco Capriani da Volterra (1535-1594) e terminado por Carlo Maderno (1556-1629). No século XVII torna-se propriedade da família Massimo Lancellotti e residência de Paolo Enrico Massimo Lancellotti.

bc53

Roma Antica e Moderna nella qvale si contengono in Roma Nella Stamperia di Giacomo Fei MDCLVII

O palácio Rivaldi (depois Colegio Innocenziano) (6)

bc15h

A propósito do palácio Rivaldi assinala Pompilio Totti : “Qui in una parte del Palazzo de' Signori Riualdi Monsignor Felice Contilori Segretario della Consulta ha fatto una bellisima Libreria di tutte le scientie”

Inocêncio X, fundou o Colégio Innocenziano no local do demolido palácio Rivaldi, para a educação dos jovens dos domínios dos Pamphili. Foi projectado por Borromini em 1654 . Na Biblioteca tem um fresco de Francesco Cozza (1605-1682) “ Glória dos Pamphili”

Palazzo De Cupis (7)

bc15c

Originariamente pertencia a Bernardino De Cupis. Em 1520 o cardeal Giandomenico De Cupis, ampliou-o com a ocupação do antigo Hospício dos Alemães.

Voltados para a praça Madama

Palazzo dei Signori Massimi (11)

bc15e

O Palácio renascentista foi restaurado entre 1532 e 1536 por Baldassare Peruzzi (1481-1537). Na entrada tem um pórtico com seis colunas dóricas.

Pompilio Totti descreve-o da seguinte forma: “…nobil Palazzo dell Illustrissima fameglia de' Massimi, & ha portico adorno di colonne di pietra, convaghi stucchi, architettura mirabile di Baldassar da Siena; ove in poco spatio sono tre Cortili ha chiari lumi, molti bassi rilieui, belle statue,e vaghe fontane,- e nelle stanze vi si vedono superbisiìmi Quadri , e le pitture ne' muri sono di Danielle da Volterra.”

Palazzo del Sig. Diego Cornouaglia (10)

bc15x

A Praça Navona com Inocêncio X

Em 1644 quando o cardeal Pamphili se torna o papa Inocêncio X a praça é então totalmente remodelada adquirindo a forma actual. Assim, resolve transformar o palacete que pertencia à família desde o século XV, num verdadeiro palácio, reconstruir a igreja de Sant’Agnese e remodelar as fontes e construir uma nova no seu centro, e com esta transformação organizar o espaço da praça tornando-o o símbolo do poder e da grandeza da família Pamphili.

A Fonte dos Quatro Rios (Fontana dei Quattro Fiumi)

Inocêncio X encarrega Bernini de criar uma fonte para o centro da praça e embelezar as outras fontes. Assim, entre 1648 e 1651 Gian Lorenzo Bernini (1598-1680) vai aproveitar um obelisco proveniente do circo de Masêncio mas que pela inscrição se deve provavelmente a Domiciano, e que então se ergueu na praça, para criar a Fonte dos Quatro Rios. O obelisco com 16,54 metros foi erguido em 1649.

bc000

bc000a

Vestigij del circo di Caracalla Vicino alla via appia e chiesa di S Sebastiano , il quale serviva anticamente a celebrare feste e altri diversi giochi, la sua longhezza e canne ?  la larggezza ?  poi di  questo luogo e un pratto al segno A con un templo di marte secondo li vestigij che si vede e il segno B era una guglia che fu poi da Papa Innocenzo X fatta transportare in Piazza  Navona sopra una bellissima fontana come al presente si vede in I VESTIGI DELL’ANTICHITA DI ROMA RACCOLTI ET RITRATATTI IN PERSPETTIVA CON OGNI DILIGENTIA DA STEFANO DV PERAC PARISINO In Roma presso Carlo Losi l’ anno 1775

bc8

Anónimo (inicialmente atribuído a Claude Lorrain 1647-1652) Piazza Navona, Roma vista com o obelisco no centro 1647-52 Pena e tinta negra, com aguada cinzenta sobre papel azul 16,2 x 26,5cm. The British Museum

A Fonte dos Quatro Rios (Fontana dei Quattro Fiumi) assim denominada por nela figurarem os rios Nilo, Gange, Danúbio e Prata, simbolizando as 4 partes do Mundo, sobre as quais a Igreja, detentora da Verdade, deve levar a sua mensagem.

Numa inscrição devida a  Inocêncio X, o monumento procura dar "salubre amenità a chi passeggia, bevanda a chi ha sete, occasione a chi medita". (saudável amenidade a quem passeia, bebida a quem tem sede e ocasião a quem medita.)

bc9

Gian Lorenzo Bernini,Estudos para a base da Fontana dei Quattro Fiumi Museu de Belas Artes Leipzig

bc10    bc11

Gian Lorenzo Bernini, Maquetes da Fontana dei Quattro Fiumi Piazza Navona, Rome, c. 1650, Accademia di Belle Arti di Bologna

bc50

Bernini Estudo para a fonte da praça Navona em Roma, pena, tinta castanha e lavis cinzento Musée du Louvre Paris

bc13   bc14

G.B. Falda (c. 1640–1678) Fontana in Piazza Navona e Altra Veduta della Fontana in Piazza Navona Architettura del Cav. Gio. Lorenzo Bernini in Le Fontane di Roma nelle Piazze e lvoghi pvblici della città, com li loro prospetti, come sono al presente. Disegnate et intagliate da Gio. Battista Falda. Date in luce com direttione e cura da Gio Giacomo De Rossi, dalle sue stampe, in Roma, alla Pace com Priv. Del S. Pont. Concesso l’Anno 1691 il di 20 Ottobre, Libro Primo

Como na fonte do Tritão da praça Baberini, (ver Barroquismo II), Bernini incorpora o vazio na escultura, ao colocar o obelisco numa estrutura aberta, que permite ver através dela e de onde sai no eixo nascente-poente um leão e a poente um cavalo, e no eixo norte –sul um dragão . Esta concepção era de tal modo novidade que Bernini teve de colocar fios ligados às paredes dos edifícios, para provar que o obelisco não iria cair.

O leão e o cavalo na abertura do pedestal da escultura.

bc10m bc10u

As esculturas dos rios depois de vários estudos de Bernini, são realizadas por discípulos de Bernini:

A Nordeste O Nilo de Cosimo Antonio Fancelli (c. 1620-1688) também atribuído ao irmão Giacomo Antonio Fancelli (1619-1671); junto ao leão e à palmeira simbolizando a África, tapando a cara já que não se conhecia à época a sua nascente.

bc9d

Bernini Bozzeto del Nilo Gabinetto dei Disegni e delle Stampe degli Uffizi Firenza

bc60

Bernini Estudo para o Nilo

bc10d 

Conhecendo a rivalidade entre Bernini e Borromini, os romanos cedo atribuiram a Bernini o facto de o Nilo tapar a cara, a intenção de não ver a fachada de Sant’Agnese do seu rival  Borromini.  Não passa de uma boutade que a fonte realizada entre 1648 e 1651, já se encontrava construída quando Borromini projecta a fachada de  Sant’Agnese.

bc10a

Entre o Nilo (África) e o Ganges (Índia) para além do leão uma palmeira fustigada pelo vento de Giobatta Palombo em 1650.

bc10e bc10q

A Sudeste o Gange de Claudio Poussin, com um longo remo simbolizando a navegabilidade do rio.

bc10h

A Noroeste o Danúbio de Ercole Antonio Raggi (1624-1686), junto ao cavalo e às flores que simbolizam os férteis campos das suas margens, e apontando para um dos brasões dos Pamphili que representam a autoridade religiosa do Papa nos “quatro cantos do mundo”.

bc9a

Bernini Bozzeto del Danubio Galleria degli Uffizi Firenza

bc10c

A Sudoeste o rio da Prata de Francesco Baratta, com as moedas de prata que simbolizam o prateado da água. Também aqui quiseram as más línguas romanas ver na expressão e nos gestos da escultura, a intenção de Bernini de mostrar a aversão à fachada de Sant’ Agnese de Borromini, prestes a desmoronar-se.

bc9b

Bernini Bozzeto del Rio de la Plata Galleria degli Uffizi Firenza

bc10r

Ainda em dois dos lados da fonte o Brasão do Papa Inocêncio X (Pamphili)

bc10v

No século XIX, Stendhal (Henri Beyle) nas suas Promenades dans Rome escreve sobre a Fonte dos Quatro Rios, mostrando a evolução do gosto, agora crítico  do barroco: “De la place Navone : cet obélisque est placé sur un rocher percé par le Bernin, et garni de mauvaises statues colossales représentant des fleuves : cette fontaine a semblé fort belle pendant deux siècles, et l'est encore aux yeux du peuple des connaisseurs ;…” (Stendhal Promenades dans Rome vol. II Calman Lévy Éditeur, ancienne maison Michel Lévy Frères 3, rue Auber Paris 1883)

(“Da praça Navona: este obelisco está colocado sobre uma rocha perfurada por Bernini e decorada por más estátuas colossais representando os rios: esta fonte pareceu muito bela durante dois séculos, e é ainda aos olhos do povo dos apreciadores…” )bc12x

Paul Letarouilly - Edifices de Rome Moderne

A nova igreja de Sant’ (Santa Inês)

No local existia uma pequena basílica mandada construir pelo papa Calisto II, no século XII substituindo a pequena capela existente nas ruínas do circo.Inocêncio X Pamphili vai erigir, sobre esta antiga igreja uma imponente basílica barroca.

Dessa nova igreja de Sant’ Agnese é encarregado inicialmente Girolamo Rainaldi (1570-1655) com o seu filho Carlo Rainaldi (1611-1691), e os trabalhos de demolição da velha igreja iniciaram-se em 1652. Mas o primeiro projecto dos Rainaldi não agradou inteiramente ao Papa.

bc18  bc19

Carlo Rainaldi, Pianta della chiesa di S. Agnese in piazza Navona a Roma grafite, pena e aguarela s/papel 45,7 x 60,7 cm.Lombardia Beni Culturali e Prospetto della chiesa di S. Agnese

E Inocêncio X substituiu então os Rainaldi por Francesco Castello Borromini (1599-1667) que vai construir entre 1653 e 1657 a nova igreja de Sant’ Agnese.

No desenho (abaixo) de um colaborador de Francesco Borromini compara-se o projecto inicial de Girolamo Rainaldi (à direita) e a proposta de Borromini (à esquerda). Borromini substitui o pórtico por uma fachada côncava com colunas.bc20

"Idee diverse per una pianta di Chiesa". 1653 grafite, pena e aguarela s/papel26,5 x 38,2 cm Lombardia Beni Culturali

Após a morte do Pontífice em 1655 o seu sucessor Alexandre VII, a quem não agradavam os trabalhos de Borromini cria mesmo uma comissão para indagar de eventuais erros no projecto. Borromini acaba então por abandonar a obra. Em 1667 Olímpia Maidalchini Pamphili, (a Pimpa ou Pimpaccia) viúva do irmão do Papa Inocêncio X, e de quem se diz que detinha verdadeiramente o poder em Roma, senão na própria Igreja, encarregou Bernini dos trabalhos de acabamentos do interior, enquanto Giovanni Baratta (1670-1747) foi o autor dos campanários e o seu irmão Giuseppe Baratta da escadaria. (Giovanni Baratta esculpiu um S. Bartolomeu e Giuseppe Baratta um S. Matias para o convento de Mafra).

A igreja de S. Agnese em construção:

bc61

Lieven Cruyl (1634-169?) Vista da Praça Navona em Roma com Sant’Agnese em construção pena e tinta castanha sobre papel, aguada a cinzento 33,5 x 49,2 cm. www. leclaire-kunst.de

bc21

ROMA ANTICA, E MODERNA o sia NUOVA DESCRIZIONE Di tutti gl'Edifici Antichi, e Moderni, tanto Sagri, quanto Profani della Città di Roma, Formata con l' autorità del Cardinal Baronio…Abbellita con duecento , e più Figure di Rame e con curiose Notizie istoricheDistinta in 14. Rioni secondo V ultimo ripartimento, fattone per commandamento di N. S. Benedetto XIV felicemente Regnante DEDICATA All'E.mo, e R.mo Principe il Signor Cardinale SILVIO VALENTI Segretario di Stato della medesima Santità Sua e Camarlingo di Santa Chiesa • TOMO SECONDO IN ROMA MDCCL.

Destaca-se a fachada para a praça Navona, com uma curvatura em que as torres de alturas diferentes, avançam e a entrada recua, criando uma leitura dinâmica da praça e permitindo a leitura da cúpula.

bc23

Gravura de Giovan Battista Falda (1643 – 1678) Chiesa Dedicata a S. Agnese V.M. in Piazza Navona La Facciata in Sino La Cornice com l’Alzata della Cuppola e Architettura del Com. Fran. Borromini, il frontespicio col’ tímpano ornamentato della Cuppola, e campanille sono Architettura di Gio Maria Baratta. In Il Terzo Libro del’Novo Teatro Delle Chiese di Roma 1699

A planta da igreja, é gerada a partir de um quadrado a partir do qual se abrem quatro braços criando uma cruz grega, coberta por uma cúpula. bc22b

bc55

Desenhos de Paul Letarouilly – Edifices de Rome Moderne

No interior sete altares e a sacristia:

bc22ab

1 - altar de S. Aleixo 2 altar de Santa Inês 3 altar de S. Emerenciana 4 Altar-mor 5 altar de Santa Cecília 6 Altar de S. Sebastião 7 altar de Santo Eustáquio 8- Sacristia

1 Altar de S. Aleixo Morte de S. Alessio por Giovanni Francesco Rossi (activo entre 1640 e 1677).

sa2

2 - altar de Santa Inês S. Agnese tra le fiamme por Ercole Ferrata (1610-1686)

Nota – Ercole Ferrata é o autor da fonte do Neptuno desde 1945 no Palácio de Queluz mas que foi em 1677 encomendada para o Palácio da Anunciada, tendo sido posteriormente mudada para a Quinta de Belas.

bc25    bc25a

Ercole Ferrata (1610-1686) Sant'Agnese 1660/64 mármore tamanho natural Igreja de sant’Agnese Piazza Navona Roma foto Matthias Kabel Wilkmedia Commons

3 - altar de S. Emerenciana Martírio de S. Emerenciana por Ercole Ferrata

sa3 sa21

4 - Altar-mor com a Sacra Famiglia por Domenico Guidi (1625 - 1701) executado entre 1720 e 1724 sa4

5 - altar de Santa Cecília por Ercole Antonio Raggi (1624-1686)sa5    sa20

6 - altar de S. Sebastião com estátua de Pier Paolo Campi

sa7

7 - altar de Sant'Eustachio “S. Eustachio tra le belve” por Melchiorre Caffà (1636-1667) e encomendado pelo Príncipe Camillo Francesco Maria Pamphili, sobrinho de Inocêncio X

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

foto de Henrik Lindberg Panoramio

8 – Sacristia de 1666 segundo desenho de Borromini, com pinturas de Paolo Perugino discípulo de Cortona.

bc63

No interior o túmulo de Innocenzo X 1729/30, de Giovanni Battista Maini (1690-1752), um outro escultor que trabalhou para Mafra (ver Barroquismos I neste blogue) bc65

O fresco da cúpula “Gloria del Paradiso” é de Ciro Ferri (1634-1689)

bc26abc26

Os pendentes são de Baciccio (Giovan Battista Gaulli 1639-1709), e executados entre 1662 e 72. Representam a Justiça, a Paz e a Verdade, a e a Caridade, a Temperança e a Castidade.

sa8sa10sa11sa9

Giovanni Battista Gaulli, Baciccio (1668-1671) detalhes do fresco "La Prudenza e la Provvidenza"

sa12sa13

Giovanni Battista Gaulli, Baciccio (1668-1671) detalhes do fresco "La Temperanza e la Castità"

O novo Palácio Pamphili (*)

(*) Embaixada do Brasil desde 1961

Inocêncio X quando se torna Papa, resolve transformar o palacete que pertencia à família desde o século XV, num verdadeiro palácio e com essa transformação associada à Fonte dos Quatro Rios e à igreja de Santa Inês, organizar o espaço da praça tornando-o o símbolo do poder e da grandeza da família Pamphili.

bc15aa

Assim adquire as propriedades vizinhas (2 Casa del Sig. Teodosio de Rossi Avvocato. 3. Palazzo del Principe di Massa di Casa Malaspina 4 Palazzo del Sig. Vrbano Mellini) cujos edifícios manda demolir e que impediam a execução e a ampliação do Palácio e da Igreja e encarrega Girolamo Rainaldi  (1570-1655) de realizar o projecto. Os trabalhos chegaram a iniciar-se em 1646, mas logo em 47 Rainaldi foi substituído por Borromini. Este embora tenha desenhado alguns estudos nenhum deles foi concretizado acabando o palácio ser acabado pelo filho de Girolamo, Carlo Rainaldi (1611-1691), seguindo o projecto inicial.

bc52

in Roma Antica e Moderna nella qvale si contengono in Roma Nella Stamperia di Giacomo Fei MDCLVII

bc16

In ROMA ANTICA, E MODERNA o sia NUOVA DESCRIZIONE Di tutti gl'Edifici Antichi, e Moderni, tanto Sagri, quanto Profani della Città di Roma, …

bc17

Veduta del Palazzo dell’Ecc.moSig.re Prencipe Pamfilio in Piazza Navona Architettura di Girolamo Rainaldi 1. Facciata principale nella Piazza 2. Fianco nella strada di Pasquino in IL QVARTO LIBRO del Nvovo Teatro Delli Palazzi In Prospettiva di Roma Moderna Dato in Lvce Sotto il felice Pontificato di nostro signore Papa Innocenzo XII – Disegnato et intagliato da Alessandro Specchi com direttione e cura di Domenico de Rossi Herede de Gio. Giac.o de Rossi dalle sve stampe in Roma alla pace con Privileggio del Sommo Pontefice è Licenza de Superiori L’anno 1699

A Borromini deve-se contudo a Galeria, com 33,20 metros de comprimento e 7,20 metros de largura, e que atravessa todo o edifício, sendo iluminada nos topos por janelas tripartidas, ditas serlianas.

pam3b     pam3a 

Borromini, desenho das janelas da galeria do palácio  interior e exterior c. 1647 Museu Albertina Viena

bc45

Desenho de Paul Letarouilly – Plan du Palais Pamfili et de ses dépendances situé Piazza Navona in Edifices de Rome Moderne

Esta Galeria, está decorada com frescos realizados entre 1651 e 1654, por Pietro da Cortona (1596-1669) e representando a História de Eneias.

pam3

pam6

Pietro Da Cortona (1596-1669) Frescos da História de Eneias Palácio Pamphili Roma

Nos tectos, como na fachada o brazão dos Pamphili.pam5

A nova fachada poente da Praça Navona com o Palácio Pamphili, a igreja de Santa Inês e o Colégio Innocenziano.

bc66

G. Falda Prospetto di palazzo Pamphilj e della chiesa di S. Agnese in Agone, 1650 allegata ad un atto di concordia del 1742 Archivio di Stato di Roma

A Praça Navona depois da intervenção de Inocêncio X

O poeta Giuseppe Francesco Belli (1791-1863) inicia um Soneto de 1833, com os seguintes versos:

Se pò ffregà Ppiazza-Navona mia /E dde San Pietro e dde Piazza-de-Spaggna. /Cuesta nun è una piazza, è una campaggna, /Un treàto, una fiera, un'allegria.

Pode-se comparar a minha Praça Navona/À de São Pedro ou à praça de Espanha./Esta não é uma praça é um campo,/um teatro, uma feira, uma alegria.

Na imagem de Lieven Cruyl, de 1665, na Praça Navona vista de poente para nascente, estão já concluídas e são destacadas as realizações de Inocêncio X.

bc62

Giulio Testone romano sculp. disegnatore: Cruyl, Lievin editore: De Rossi, Giovanni Battista: Pianta di Roma come si trova al presente colle alzate delle fabriche piu nobili cosi antiche come moderne la quale si stampa in Roma da Giovanni Battista de Rossi milanese in piazza Navona l'anno 1665. Con gratia e privilegio di nostro Sig.re.Roma1665 dedicada Alla santità di nostro s. papa Alessandro VII. Beatissimo padre. Io piglio ardire di dedicar' alla S.V. il presente disegno, fatto in forma piccola, della sua Roma, [...] In Roma li 4 di giugno 1665 [...] Matteo Gregorio de Rossi D.D.D

E na planta de Giambattista Nolli, (c. 1692-1756) de 1748 pode encontrar-se já a consolidação da praça, no essencial, tal como se encontra presentemente.

bc27z

1. Agnese 2. Palazzo Pamphili 3. Chiesa ed Ospitale di S. Giacomo degli Spagnoli 4. Palazzo Lancellotti 5. Obelisco e Fontana (dei Quattro Fiumi) 6. Fontana del Moro 7. Fontana del Nettuno 8. Colégio dos Inocentes 9. Palácio De Cupis 10. Palácio Diego Cornualha 11.Palácio Massimi

Cruyl Lieven (1640-1720) numa das raras vistas da Praça de norte para sul (Prospectus Fori Agonalis in Roma Typis Ionnes Baptista de Rubeis Mediolanensis in Foro Agonali na D. 1666 cum Privilegio Sumi Pont.) indica 10 dos principais edifícios numa legenda. bc59a

1 Obeliscus Pamphilius ab Innocentio X erectus 2 Ecclesia S. Agnetis 3 Palatium Familiae Pamphilis 4 Palatium Familiaa de Torres 5 Palatium Familia Vrsini 6 Palatium de Cupis 7 Horlogium S.M. in Vallicella 8 Temp.S. Andrea 9 Temp. SS. Trinitatis 10 Temp. S. Pantaleonus

A Piazza Navona por Vanvitelli (Van Wittel) 1699

O pintor flamengo Caspar Adriaensz van Wittel (1653-1736) que quando foi para Roma cerca de 1697 italianizou o seu nome para Gaspare Vanvitelli, pintou em 1699 uma conhecida vista da Piazza Navona. (**)

(**) Existe uma pintura Um  Porto de Mar de Vanvitelli no Palácio da Ajuda

bc28

Gaspare Vanvitelli ( 1652/53-1736 ) Piazza Navona, Rome 1699 óleo sobre tela 96,5 x 216 cm. Museo Thyssen Bornemisza Madrid

Nesta vista de Vanvitelli a Praça Navona é vista de sul para norte e apresenta-se depois e dando particular relevância às intervenções promovidas por Inocêncio X. Assim quase ao centro da imagem a fonte dos Quatro Rios, e à esquerda do espectador, na parte ensolarada do quadro, o Palácio Pamphili e a igreja de S. Inês depois da sua remodelação.

A importância atribuída a estas intervenções é ainda sublinhada pela composição do quadro, segundo uma perspectiva rigorosa, em que o ponto de fuga se encontra junto ao palácio Rainaldi, o que salienta o conjunto das fachadas do lado poente da praça, em detrimento da fachada nascente, mais em escorço e na sombra. O quadro representa a praça numa manhã de sol em que se realiza um mercado.bc28z

Em primeiro plano a fonte do Moro

bc28a

Num plano intermédio, separando a zona mais iluminada com as realizações de Inocêncio X, a  Fontana dei Quattro Fiumi.

bc28d

A iluminada fachada poente com o Palácio Pamphili e Santa Agnese.bc28e

A fachada nascente, na sombra, com a igreja e o Hospital dos Espanhóis.bc28h

Ao fundo numa luz intermédia, os edifícios que completam a praça a Norte.bc28t

A Piazza Navona serviu durante muito tempo de local de comércio e de mercado e Vanvitelli representa várias lojas nos rés do chão dos edifícios em ambas as fachadas, o que se nota pelos toldos. bc28ybc28x

Na fachada nascente, à sombra algumas barracas na própria praça.bc28g

A Piazza Navona por Giovanni Panini 1756

bc29

Giovanni Paolo Pannini (1691- 1765 ) piazza Navona 1756 óleo sobre tela 73 x 100 cm Musée des Beaux Arts de Nantes

No quadro de Giovanni Panini o ponto de vista do espectador (e do autor) é um pouco mais alto colocando o ponto de fuga da perspectiva à esquerda do centro do quadro, ou seja, do outro lado do quadro de Vanvitelli. bc29p

Assim é a fachada nascente, onde se encontra a igreja de S. Giacomo dei Spagnoli que se destaca, sublinhada pela vista ser realizada de tarde (mais propriamente ao fim da tarde dada a dimensão das sombras projectadas sobre a praça), e também ao contrário de Vanvitelli.

bc29f        bc29e                

De resto o ambiente de mercado apesar da diferença de 57 anos entre as duas pinturas.bc29b

Sobre um fundo agora mais iluminado, repare-se na sege junto à fonte dos Quatro Rios, mostrando essa diferença de data de execução.

bc29a

No quadro de Panini sobressaem a cúpula e os campanários de Santa Agnese, e as armas Papais na fachada do Palácio Pamphili.bc29d

A utilização da Praça Navona com espaço de mercado manter-se-á até ao século XX.

No quadro de Andrea Locatelli, o mercado ocupa mesmo todo o espaço da praça.

bc31

Andrea Locatelli (1695 – 1741) Mercado na praça Navona 1733, óleo sobre cobre 73 x 93 cm. Akademie der bildenden Künste, Vienna

De novo o ponto de fuga é colocado à direita, valorizando a fachada Pamphili, mas a iluminação correspondente ao meio dia, distribui-se quase uniformemente pelas fachadas, salientando sobretudo as tendas e os toldos do mercado.

bc31a

O mercado é quase totalmente ocupado por feirantes, alguns burgueses que fazem compras e poucos aristocratas, como se vê pelas roupagens. Note-se a figura no primeiro plano salientando-se pelo vermelho do seu rico traje e pela cabeleira e alinhada pelo obelisco da fonte dos Quatro Rios.

bc31b

No primeiro plano do lado esquerdo destaca-se uma carruagem.

bc31c

Do outro lado, numa posição simétrica  um carro de bois, contrastando pela sua utilização com a riqueza da carruagem.

bc31d

Num outro quadro de Pannini do Museu do Louvre, a Praça Navona está decorada mostrando a sua utilização como espaço nobre no século XVIII.

bc30

Giovanni Paolo Pannini (1691- 1765) Préparation du feu d'artifice et de la décoration de la fête donnée sur la place Navone à l'occasion de la naissance du Dauphin 1729 óleo sobre tela 107 x 248 cm. Musée du Louvre, Paris

Uma das suas outras utilizações era o divertimento com a praça alagada. Desde a sua remodelação por Inocêncio X, a praça podia ser inundada o que passou a ser um divertimento dos romanos. Assi cada Domingo de Agosto, para combater o calor a praça era alagada e aí se passeavam os nobres nas suas carruagens perante uma vasta assistência que assistia ao espectáculo, nas margens do lago que se formava junto às fontes e das varandas dos edifícios.

Apenas em 1866 se deixou de fazer tal divertimento, por decreto do papa Pio IX (Giovanni Maria Mastai-Ferretti 1792-1878), o papado mais longo da história de 1846 a 1878.

bc32

G. Vasi - Piazza Navona allagata solito farsi nelle Feste di Agosto 1 Obelisco e Fontana 2 Altre Fontane 3 Chiesa di S. Agnese, e Palazzo Pamphilj 4 Chiesa ed Ospitale di S. Giacomo degli Spagnoli

O quadro seguinte do Museu de Roma, apresenta uma vista da praça ao fim da tarde, e mostra como se desenrolava o acontecimento.

Museo di Roma

O lago no centro da praça.

As carruagens em cortejo nos dois sentidos, enquanto os espectadores assistem junto às fachada da igreja de S. Jerónimo dos Espanhóis.

Detalhe da parte sul da praça.

Outros assistem das varandas do Palácio Pamphili

bc36

Giovanni Battista Piranesi View of Piazza Navona above the ruins of the Agonale circus (Veduta di Piazza Navona sopra le rovine del Circo Agonale)c 1750bc32a

Pietro Ruga Veduta della Gran Piazza Navona água-forte 36,7 x 48 cm. imp. Agapito Franzetti 1799 http://purl.pt/11587 BND

bc34

Giovanni Acquaroni (?-c.1837) imp. Giorgio Antonelli, Rome 1826

Apesar de as vistas da Praça Navona serem na sua maioria tomadas de sul para norte, algumas gravuras e desenhos apresentam a vista do norte.

bc35

Giovanni Battista Piranesi, Veduta di Piazza Navona sopra le rovine del Circo Agonale 1746?-1748? água-forte 46,5 x 70 cm.

bc37

Lievin Cruyl Prospectus Fori Agonalis   Romae typis Matthaei Gregori de Rubeis Romani in Foro Agonali An. D. 1697 cum Privilegio Sumi Ponteficis in Prospectus locorum urbis Romae pub. Matteo Gregorio de' Rossi the British Museum

A Piazza Navona na fotografia dos finais do século XIX e inícios do século XX. De notar a presença do mercado.

bc44bc40

bc67

Studio Fratelli D'Alessandri: dettaglio da stereofotografia di Piazza Navona a Roma antes de 1869.

bc41

Piazza Navona (Circo Agonale) Roma albumina (255 x 332 mm) Courtauld Institute of Art

bc42

Finalmente a  Piazza Navona num desenho do arquitecto Michael Graves (n. 1934)

bc43

_____________________________________

(*) Adaptação de detalhe de Giacomo Rossi e Giovanni Falda NVOVA PIANTA DELLA CITTA DI ROMA COM TVTTE LE STRADE PIAZZE ET EDIFICII DE TEMPII PALLAZI GIARDINI ET ALTRE FABBRICHE ANTICHE ET MODERNE COME SI TROVANO AL PRESENTE NEL PONTIFICATO DE N.S. PAPA INNOCENTIO XI COM LE LORO DICHIARATIONI NOMI ET INDICE COPIOSISSIMO DISEGNIATA ET INTAGLIATA DA GIO. BATTISTA FALDA DA VALDVGGIA ET DATE AL PVBLICO DA GIO. GIACOMO DE ROSSI DALLA SVE STAMPE IN ROMA ALLA PACE L’ANNO 1676 COM PRIVILEGGIO DEL SOM. PONT.

(CONTINUA)

1 comentário:

  1. Boa noite, sou aluno da faculdade de arquitectura da Universidade do Porto e estou a fazer um trabalho para a disciplina de História. Gostaria de lhe perguntar se me pode dar o nome de algum livro importante na realização desta pesquisa que aqui publicou sobre a Piazza Navona (tarefa que tenho vindo a ter muitas dificuldades) e se me poderia dar mais informações sobre si (nomeadamente o nome/profissão) para que possa fazer um trabalho de referencia correcta. Por questões de privacidade poderá contactar-me para o email danielimalmeida@gmail.com. Muito Obrigado.

    ResponderEliminar